sábado, 16 de abril de 2016

impitimã

muro moro
denúncias furos
grampos sem foro
políticos q mudam da água p vinho
mesmo sem deixar de ser o q sempre foram.
A política brasileira está uma suruba ruim de se ver,
proporcionando risíveis fatos antes mesmo de subir o poder,
nosso decorativo vp  desligará a torneira da lava jato e sem temer ,
arrastará a opinião pública para antiga zona de conforto ,
adulando a quem deve e barganhando como pode,
mostrando ao povo como tudo isso q aconteceu não foi um golpe.
E antes que se perceba, ainda que já se sinta, saberemos :
no Brasil,  a corrupção e sua percepção é seletiva.

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

outubrosa

hoje ela acabou comigo,
                         de novo.
não a culpo, não a faço
                              bem
penso, penso, mas não
                      me movo
indiferente, permaneço
                              zen
sem perceber que ando
                    um estorvo,
estou acabando comigo
                         também.

domingo, 15 de março de 2015

a reflexão será twitada

As vedetes do debate político se mexem num cenário mequetrefe 
A base de muito pileque ou muito prozac é que se dá o próximo passo
Palavras de ordem, hashtags e pau de selfie ( para ficar mais fácil) 
Contestam Impasses de uma presidenta instável que fomenta xingamentos e panelaços 
a classe média se remexe quando o assunto é lava jato, 
roubem quanto necessário,  mas não mexam nessa gasolina nesse dólar ou nesse salário,

É fato, nesse dia 15, que obtuso e pomposo será desfile, 
ainda que válido, o Brasil ainda tropeça no caminhar democrático, 
ainda que  vacile  ao tentar andar rapido, ao reinvindicar impeachmant ou a volta militar,
 limita-se ao riso, mesmo com apoio popular, não inspira argumentos precisos ou sábios,
 pelo esvaziamento do seu valor intrínseco e prático.
 Pois é estapafúrdio o gigante acordar quando convém e deixar o travesseiro em coragem desalenta para depois se ninar em sonhos mil quando acha que a mao seguinte que balançará o berço será menos avarenta

terça-feira, 5 de agosto de 2014

após-copa-lipse

cade os os sonhos que me motivam
ou as metas que me norteiam
quando as ferias chegam
parece que meu fígado mostra a que veio
os quillos a mais, as dietas de menos
as olheiras aparentes e a conta no vermelho
as ressacas homéricas tem sido um saco
as memórias ficam sem fim,inicio ou meio
ainda bem que isso dura pouco
pq nao dá para juntar todos os cacos
daquilo tudo que eu joguei para escanteio


tm

domingo, 13 de abril de 2014

risoto e palavras

deveríamos acertar o relógio um do outro
para sabermos outro do um cada vez mais
entre tantos desencontros, parecemos loucos
discutindo e discordando sobre algo lá de trás
a gente procura na rua tudo que falta em casa,
entendimento, aprovação, decisões banais
por isso, bebe,fuma,extravasa e fica em paz.
culpa minha ou culpa sua, tanto faz
não importam realmente os lados,
de que adianta ter sido o segundo a errar
se os dois continuam errados?
pareço me perder e me afastar de você
a cada tácito olhar triste que vejo
penso coisas tão boas para a gente fazer
mas na hora não sai como desejo,
e aí entramos nesse espiral de receios,
onde o carinho dá lugar às criticas
os beijos cessam e surgem "cara feias"
ai você implica, eu estouro, a gente briga.
silêncio, beijo seco, esporros à esmo
semblante decepcionado, acusações, intriga.
somos bons em nos tornarmos vilões de nós mesmos.
e de que adianta? me diga.
sabemos fabricar o nosso próprio veneno,
mas não vejo razão para fazer isso com quem amo
nós dois estamos juntos por que queremos, não porque precisamos.

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Gabarito verdadeiro

Os 20 e poucos anos:
esses anos loucos que definem para onde vamos.
os passos, os tombos, os ganhos, os amigos,
tudo que eu levar daqui, estará por quanto tempo comigo?
a década das decisões importantes
o diploma, a namorada, o mercado de trabalho
por mais que eu ainda me encante
a eterna dúvida se conquisto ou se falho.
meus princípios, meus erros, minhas escolhas
o gosto amargo de investir tempo à toa.
digo, ainda, convicto, de tudo que fiz,
pus em teste, contrariei o cespe,  sem medo de ser feliz
quando tudo parece confuso e o resto todo aperta :
essa é a década onde uma errada não anula uma certa.

quinta-feira, 27 de junho de 2013

Ele q passa impassível a maior parte do tempo, ele que se arrepende muito tarde , ele que ferve, briga, xinga e depois sozinho arde, ele que consegue ser um ótimo exemplo de dia e um péssimo exemplo mais tarde, ele que reúne qualidades únicas e defeitos mestres ele que insiste em pequenos detalhes e que faz de tudo um teste, ele q nao procura aprovação na familia mas em praça publica lhe arranca um sorriso, ele que me ensina que todo cuidado é pouco e que ser chato é preciso, ele que é louco mas sem perder o juízo me diz que todo aprendizado vem da persistencia ele que qualquer semelhança nao e mera coincidência , ele q eh ruim com palavras e pessimo com gestos e sentimentos mas q mostra capacidade espetacular pra inventos, ele q de tao cuidadoso, acaba sendo pequeno, mas que a sua maneira, ainda q com tropecos consegue ser pleno, ele esse distante do ideal paterno, sempre tao ranzinza, mas q me tira o chao quando sai de perto e nao avisa, ele q fala alto, ronca e ameaça se matar em breve se depender de atualmente, mas acorda toda dia cedo , vai na padaria e me faz misto quente, ele que passa a mao na cabeca mas nao hesita em dar porrada ele q me da todo o apoio financeiro mas quando passei na unb nao me disse nada, ele essa mistura de opostos essa contradição temperada com ironia a gosto,essa grossura com gracejo esse feio com bonito que quando vejo nao acredito, esse castigo com exigência que também mostra compaixão essa combinação de solidão e inteligência, esse meio a meio de homem e aço, essa forca bruta vencida pelo tempo e pelo cansaço , mas que sendo meu pai é também um espelho para a posteridade amarga e sendo assim me desperta um sorriso mas também faz cair uma lágrima