quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

mamãe

entra
sem pedir licença
essa tal de doença.
vá embora
antes que eu me irrite,
dona artrite.
e pra aumentar o meu tédio,
voce fica cada vez mais grave
e ja não há mais remédio
que me salve.
mas preste atenção,
na proposta que eu te faço,
te dou o dedo,
voce me pega a mão,
chuta minha muleta
toda vez que eu passo,
te desafio,
eu e você,
se é assim que gosta,
à uma queda de braço
e não aceito um não
como resposta.

tm

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Gramaticalmente correto

vírgulas
parênteses
artigos
e muitos adjetivos
quando estive contigo
sempre me senti vivo.

me sentia como um verbo,
um tanto quanto transitivo,
e eu aposto nosso aposto:
fomos mais do que um casal,
fomos um sujeito composto,
em número, gênero e grau.

passamos por
poucas e boas,
alguns maus bocados.
nosso verbo nem sempre
concordou com a pessoa
mas nosso sujeito
sempre teve predicado.

sigo em frente
na nossa oração,
com mais semântica
menos sintaxe,
pessoas como você
tenho que penar
para que eu ache.

não quero acreditar
nisso, e sei que tento,
mas eu sem você perdi
meu acento.
o circunflexo
e também o agudo,
sempre tivemos a forma
mas nunca
esquecemos do conteúdo.

nossa frase
teve de bons momentos,
sempre usando crase
e complementos,
mas chegou uma má fase
e nos rendemos.

mas levo a certeza:
estivemos juntos,
na alegria e na tristeza,
no bem e no mal,
não importando o adjunto:
adverbial ou adnominal.

nos atrapalhamos
na pontuação,
tropeçamos na nossa
regência,
mas nada foi em vão
nessa gramatica
cheia de exigências
enfim; isso é só
um truque adverbial,
tenho certeza
que se trata
de uma reticências
e não de um ponto final.

um casal
gramaticalmente correto
fiz o que pude
disse o que quis
usei todo o alfabeto
pra te fazer feliz.

cada um segue
com sua oração,
na memória, só o
que foi bom.
é o que a gente
acredita,
e agora, há
novas orações
para serem escritas.


nem muito,
nem tanto,
pelo menos, por enquanto.

tm.

PS:

recado aos
desatentos:
(pelo menos eu acho)
sempre que tento
sair por cima
saio por baixo.
amor machucado
com efeitos
adversos:
matéria prima
para as rimas
dos meus versos.


th

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Ás cegas

rugas,
regras,
fugas,
pedras,
drogas e
outras moedas
o que me fuma
ou que me embebeda
em suma,
minha querida.
tudo que me atrapalha
na subida,
me ajuda na queda.

tm

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

bingo

Sorte no azar

e jogo no amor,

se alguém discordar

que se manifeste por favor.

entres apostas e outras
medidas,
eu dei de costas
pra essa tal de vida.


tm

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Loteria da vida

eis aqui a minha sina
resumida em letras pequenas:
tenho aprendido
com o que a vida me ensina
longe de qualquer
felicidade plena.
ainda me afundo
em tanta jogatina,
e o cigarro ainda
me rende uma ponte-safena.
perambulando por
qualquer esquina
tentando ganhar a mega-sena.
fugindo da mesmice da rotina.
mas
isso não acaba com meus problemas,
muito menos paga minha gasolina.
isso eu deixo para os meus poemas
e também para minhas rimas.

tm.