terça-feira, 30 de março de 2010

a revolta das letras

que a
novidade
venha em breve,
pois ela
que pare suas crias,
sua emoção já
não é mais franca,
como era outro dia.
seu lápis já não escreve
como antes escrevia.
a folha agora é branca,
onde antes era escrita,
e a verve
não te serve,
como antes te servia,
por mais que o poeta
se enerve,
aconteceu o que ele
mais temia:
entrou de greve
a sua poesia.

tm

quinta-feira, 25 de março de 2010

À greve de todo dia..

mostro a que vim,
por mim,
erro,
acerto,
falho.
vim a passeio,
não vim a trabalho.
me preocupo
com coisas sérias
ou coisas parecidas
mas vou
vivendo de férias
a vida.
é tanto esforço
que se desperdiça..
imagine o mundo
se não tivesse a preguiça.
tenho fome
tenho sede
tenho gana.
mas por enquanto
sou homem
de pé na rede
dizendo que ama.
lamento,
tudo ao seu tempo,
posso estar certo,
posso estar errado
se eu não estiver
aqui, procure no
bar mais perto
ou deixe seu recado.


tm

Eu, você e a sorte

A sorte
às vezes bate à porta
e eu não atendo.
digo para que volte
mais tarde
- quem sabe depois -
e assim sendo
sem muito alarde,
ela se foi.
não me arrependo
do que fiz,
sempre fiquei
aqui dentro,
achando que era feliz.
vivi no casulo,
me prendi ao escuro,
em cima do muro, e daí?
nunca soube
o que tinha por vir.
e pra quem diz
que a sorte não volta,
que mude o ditado a que se impôs.
por que agora eu abri a porta,
e essa porta deu para nós dois.

tm

segunda-feira, 22 de março de 2010

21/03

nada
como um amor novo
para acabar
com qualquer problema..
o mundo se
seca de paixão,
enquanto eu chovo,
e faço poemas.
chegou como
quem não quer nada,
de saia e
sorriso aberto,
e agora eu já
não quero que saia,
e fique sempre por perto.
estou certo.
que bom que aconteceu
que bom você e eu,
uma paixão nova,
livre leve e solta
pra não me sentir sozinho,
o mundo dá reviravoltas,
e numa delas,meu bem,
você caiu no meu caminho.
ainda bem.

tm

quinta-feira, 11 de março de 2010

dos violinos

digo a todo povo:
tá tudo bem,
tá tudo lindo,
e sinto que
algo bom
e novo vem vindo.
dispenso todas as queixas
e já me veio como
um estouro:
algo bom e novo -
com bochechas
e cabelos loiros.

tm,

mulher e
virginiana.
faz ballet
e sai de pijama.
queria pautar o ritmo,
digo,
saber o que faço
comigo.
queria descobrir o que
penso,
saber se é hora de falar
ou se é hora do silencio.
flerto com o riscos,
assumos as consequencias,
agora estou mudando o disco
mas não leve como ofensa,
a longo prazo,
se for o caso,
peço licença,
e digo, estou só.
estou só porque quero,
estou só,
mas nunca deixei
de ser sincero.
te desejo o melhor
e te quero bem,
agora vai com deus,
e amém.

tm
Once I ran to you (I ran)
Now I'll run from you
This tainted love you've given
I give you all a boy could give you
Take my tears and that's not nearly all

sábado, 6 de março de 2010

81,7%

sempre fico nos quase
quando dependo das cartas,
é triste, eu sei,
mas esse par de ases
ainda me mata.
não há como contestar
a sorte vai e volta,
mas pra saber ganhar
tenho que me acostumar
com a derrota.


tm