sábado, 25 de setembro de 2010

humildade relativa do amar

entre tropeços e torresmos
organizações e orgasmos.
desperdicei minha ferias a esmo
e perdi todo meu entusiasmo,
no fim das contas, é mesmo
tudo um pleonasmo.
conclui, virei uma piada
que perdeu a graça,
aquele barulhinho que
atormenta e não passa,
mesmo que eu não resista,
não ficarei pasmo,
virei um pessimista,
e sei que se a sorte me sorrir,
será com sarcasmo.


tm

pior que tá não fica,
a seca castiga tanto
que não lembro nem
da paixão antiga.


quarta-feira, 22 de setembro de 2010

rotina

uma salva de palmas
pro semestre letivo.
graças a ele,
continuo vivo.
a falta do que fazer
é uma coisa séria.
bebida, cigarro, e ovo frito.
férias entopem artérias,
e tenho dito.


tm

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

mal me lembro
o que meu
coração insone
sente.
são necessários
quantos setembros
pra que eu me apaixone
novamente?


tm

domingo, 5 de setembro de 2010

saturno casa 1

corro da ribalta,
fujo dos holofotes
não me sinto mal.
qualquer popularidade
me maltrata,
nunca gostei de
ser mascote,
mas sempre gostei
do marginal.
meu lugar é a beira,
a margem, a calçada.
a sarjeta me completa.
namoro com a caneta,
tento ser poeta.
fico lisonjeado
com elogio,
mas ultimamente
estou só liso,quebrado.
por isso, deixo o aviso.
não falem bem,
nem falem mal,
na verdade,
nem falem de mim.
o pra onde eu vou
que importa,
e não da onde vim.

tm

em sinal de protesto

de que adianta
ser um pássaro
ter asas e poder
voar, se voce só
fica na gaiola?
de que adianta
ter 19 anos,
ter carro, se
sua mãe te controla?
faço tudo que posso,
fiz tudo que pude,
mas minha liberdade
só é real
se usufruida
em plenitude.

tm

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Tá servido?

minha vida
não me rende mais uma poesia.
ando ficando maluco.
nenhuma rima, nenhum
verso se arranja
onde se arranjava
todo dia.
parece que eu espremi
todo o suco dessa laranja
do qual bebia.
isso tudo me dói no peito.
fico perdido, fico tonto.
eu corro o risco de ficar obsoleto
antes mesmo de ficar pronto.

tm