quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Abre essa porta, Mariquinha

a meia distância é que não me comporta..
sempre fomos oito ou oitenta, extremistas até o ultimo suspiro da gente
pra que me acostumar com a água morna
se eu ja tive a água quente?!
você sente falta,
mas não me quer de volta
e assim me maltrata
me causando revolta.
e sabemos, ambos os dois,
que você já fechou a nossa porta
com todo o sentimento, e quando a porta se fechou, só um ficou de dentro!


como um ampulheta nosso tempo só se esgota.

tm 08.08.10
uísque café e aspirina.
olheiras, furos, trompete.
jogar,dormir,acordar.
repete.

quanto tempo dura meu blefe?

domingo, 7 de novembro de 2010

o gosto da novidade
invade minha boca,
mata minha sede,
quase tira minha roupa
que com esses olhos
que são uma covardia
que de tão verdes
fazem a noite virar dia.

e da amizade aflora
uma vontade intensa
mas também leve.
já que chegou a hora,
sei que não há
de ser breve.

ficaremos a
esconder nossos rostos
no meio do público com as mãos
a fim de esconder a felicidade
para que ninguém possa roubá la.
ela é nossa. vamos usá-la?

eu sou isso.
um errante,sem compromisso.
tentando fazer o melhor negócio.
meio homem , meio bicho.
sou sexo vício e ócio.
sou isso, aquilo, tanto faz.
só me protejam do que eu quero.
antes que seja tarde demais.