quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Gabarito verdadeiro

Os 20 e poucos anos:
esses anos loucos que definem para onde vamos.
os passos, os tombos, os ganhos, os amigos,
tudo que eu levar daqui, estará por quanto tempo comigo?
a década das decisões importantes
o diploma, a namorada, o mercado de trabalho
por mais que eu ainda me encante
a eterna dúvida se conquisto ou se falho.
meus princípios, meus erros, minhas escolhas
o gosto amargo de investir tempo à toa.
digo, ainda, convicto, de tudo que fiz,
pus em teste, contrariei o cespe,  sem medo de ser feliz
quando tudo parece confuso e o resto todo aperta :
essa é a década onde uma errada não anula uma certa.

quinta-feira, 27 de junho de 2013

Ele q passa impassível a maior parte do tempo, ele que se arrepende muito tarde , ele que ferve, briga, xinga e depois sozinho arde, ele que consegue ser um ótimo exemplo de dia e um péssimo exemplo mais tarde, ele que reúne qualidades únicas e defeitos mestres ele que insiste em pequenos detalhes e que faz de tudo um teste, ele q nao procura aprovação na familia mas em praça publica lhe arranca um sorriso, ele que me ensina que todo cuidado é pouco e que ser chato é preciso, ele que é louco mas sem perder o juízo me diz que todo aprendizado vem da persistencia ele que qualquer semelhança nao e mera coincidência , ele q eh ruim com palavras e pessimo com gestos e sentimentos mas q mostra capacidade espetacular pra inventos, ele q de tao cuidadoso, acaba sendo pequeno, mas que a sua maneira, ainda q com tropecos consegue ser pleno, ele esse distante do ideal paterno, sempre tao ranzinza, mas q me tira o chao quando sai de perto e nao avisa, ele q fala alto, ronca e ameaça se matar em breve se depender de atualmente, mas acorda toda dia cedo , vai na padaria e me faz misto quente, ele que passa a mao na cabeca mas nao hesita em dar porrada ele q me da todo o apoio financeiro mas quando passei na unb nao me disse nada, ele essa mistura de opostos essa contradição temperada com ironia a gosto,essa grossura com gracejo esse feio com bonito que quando vejo nao acredito, esse castigo com exigência que também mostra compaixão essa combinação de solidão e inteligência, esse meio a meio de homem e aço, essa forca bruta vencida pelo tempo e pelo cansaço , mas que sendo meu pai é também um espelho para a posteridade amarga e sendo assim me desperta um sorriso mas também faz cair uma lágrima

quinta-feira, 20 de junho de 2013

Estranho é ser normal

Imã de maluco, pára-raio de doidão,
da purpurina para a orquídea,
do filtro do cigarro para a paixão.
toda a fúria das ruas se encontra nos bares
com diálogos ímpares em sua variedade
minha mãe sempre me disse para
evitar estranhos nas minhas saídas
mas tenho ignorado solenemente o conselho
tem algo mais bonito na vida
do que se olhar em outros espelhos?
a caixinha de bombom que foi essa noite
não poderei transcrever pro papel agora
eu poderia escrever elogios para arquitetura
mas hoje,Brasilia, admiro sua fauna e sua flora.

quarta-feira, 15 de maio de 2013

Zé fini la diversão


insistente no erro,
constante no ferro,
tento antes do que posso
perco antes do que quero.
a ré parece ser minha marcha predileta
nada de limites, nada de ser esperto
enquanto houver pôquer na minha vida,
nada vai dar certo.

dos vícios, o mais devastador.
me ilude como o pó,
me inebria como a bira,
me acalma, quando ganha,
feito um trago de maconha.
o poquêr é um, mas tem a força dos três.
como competir com qualquer deles,
se ele é todos de uma vez?

hoje desisto e sei que pode não durar,
um golpe de jogador, palavra vazia para intimidar,
mas a gente se esquece que nem sempre tem carta na mão
e a cada blefe, menos breve se torna a decepção.

terça-feira, 14 de maio de 2013


            Mãe,

Nesse dia nada mais óbvio do que exaltar suas qualidades, te paparicar e falar que você é a melhor mãe do mundo. Isso é o mínimo e não seria suficiente se fosse só por hoje.
Sei que preciso corrigir algumas posturas, sei também que ultimamente nossa convivência não tem sido tão fácil, nossos momentos de vida são bem diferentes pela idade e claro , pela maturidade,  pela perspectiva e pelas preocupações. Você, recentemente, passou por uma cirurgia séria e teve êxito, tudo está favorável para a recuperação, mas não tenho visto sua atitude mudar, por isso nesse Dia das Mães quero que você receba um presente que só você mesmo pode se dar: paz interior.
Emagreça de estresse, esvazie-se de problemas, perca preocupações, elimine dores de cabeça. Cadê a Cristina dançante, a Cristina sorridente, a Cristina brincalhona? Deu lugar à Maria? A Maria ranzinza, cinza, sempre ocupada, sem vontade de cantar uma bela canção? A Maria que não gosta que eu chame ela desse jeito! Bipolaridades à parte, acho que a Cristina repousa aí dentro e tá passando da hora dela acordar.
Dê-se um descanso , saia do celular, levante-se do sofá, seus joelhos já permitem e seu bom humor insiste. Curta seu neto, brinque com o Jarbas, beije seu marido,  dê uma banana aos boletos, passeie a pé, embora os empréstimos (ainda) sejam necessários, o tédio não é.  A conta de remédios é grande, a rotina de médicos é severa, mas a vida não espera, Maria.
Não há tempo melhor de ser feliz do que agora, Vovó, Titia, meu pai, todos vão embora e você não pode evitar isso, aproveite-os, some-se, não é preciso se desgastar quando as coisas não dão certo, todos que te amam, você sabe, estão por perto. Seus cabelos brancos são facultativos, a idade da gente é a idade do nosso espírito. Pare de ver novela e cante mais músicas comigo. 






                                                                        Seu filho,

Thiago

segunda-feira, 22 de abril de 2013

Via Spotted UnB

ainda que eu pudesse 
ainda que eu mandasse
nem diante do elogio
que envaidece
ou em face de 
amorosos impasses
cessar a dúvida
é como se a vida parasse,
e me serve como um lembrete
esse conselho tão perspicaz
mas se vc tem que estar 
do meu lado
que seja seguindo em frente
e não me puxando pra trás.

segunda-feira, 15 de abril de 2013

Dia do Fico



Ainda que sobre engarrafamento
Com requintes de qualquer cidade grande
Estress, concreto armado e cimento
Não diminuem a beleza do que vejo
enquanto eu aqui ande
Por mais que se assemelhe a um
Cônjuge ciumento ,
E por muitas vezes admite a possibilidade de troca
Quando a tranquilidade foge:
A cidade me evoca:
Voce ja olhou meu céu hoje?